quinta-feira, 5 de março de 2015

A jornada de personagens femininos no cinema em comemoração ao Dia Internacional da Mulher


Em pleno século XXI com várias mudanças no papel da mulher na sociedade ainda há questões para serem discutidas e implementadas para uma maior igualdade de direitos. Vários problemas sociais da jornada feminina foram conquistados a partir da década de 1960, período de extrema importância para o movimento feminino, mas outros tópicos ainda não foram solucionados e necessitam de atenção por parte de toda sociedade.

Um destaque desses problemas vai para a questão profissional que atinge milhares de pessoas do gênero feminino na busca por condições salariais iguais aos dos homens. Esse fato é tão evidente que recentemente no discurso da atriz americana, Patricia Arquette ao receber o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, ela debateu esse ponto ao reivindicar condições igualitárias para as mulheres, essa manifestação além de ter sido super aplaudida e ovacionada pelo público presente na premiação gerou várias discussões ao longo da semana. 

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher no próximo domingo, 8 de março, momento para pensar e refletir sobre os avanços e os objetivos futuros para o gênero feminino, decidi selecionar alguns filmes que retratam diferentes jornadas de mulheres em distintos países, mas que passam nas telas o que é ser mulher, independente da cultura, idade ou condição social. 

Espero que a jornada dessas personagens femininas possam servir de inspiração para mulheres ao redor do mundo em reivindicar por direitos igualitários. Confira os filmes que foram selecionados com cuidado, carinho e amor características estas que fazem parte do universo feminino.

Thelma & Louise (Thelma & Louise)
Direção: Ridley Scott, 1991
Quando o feminino sai da sua zona de conforto para ganhar o mundo através da liberdade, de novas aventuras, experiências, amores e também consequências. Um road movie de mulheres acima de trinta anos em busca de si mesmas.
Veja crítica do filme: Thelma e Louise

 

Kramer vs Kramer (Kramer vs Kramer)
Direção: Robert Benton, 1079
A jornada de uma mulher na década de 1960 ao decidir se separar de seu marido e deixar o filho sobre sua custódia. A senhora Kramer decidi viver sua vida sozinha, trabalhar para seu sustento, mas depois resolve lutar pela guarda do filho.


Julie & Julia (Julie & Julia)
Direção: Nora Ephron, 2009
Duas épocas diferentes, duas mulheres buscando seus dons e com a ajuda de seus parceiros elas descobrem que cozinhar é para elas a forma mais deliciosa de preencher o tempo e consequentemente se torna a profissão escolhida. Mas primeiro elas precisam acreditar em si mesmas e em seus potenciais.


Tomates verdes fritos (Fried green tomatoes)
Direção: Jon Avnet, 1991
Duas mulheres cada uma com seu temperamento tendo que se impor perante uma sociedade machista e racista em plena Geórgia da década de 1960 nos Estados Unidos. Com a união e força das duas elas mostram o valor de uma verdadeira amizade. Assim como outras duas mulheres em outra época se consolam e cada uma ajuda a outra a encarar as suas realidades.


Histórias Cruzadas (The help)
Direção: Tate Taylor, 2011
Uma jovem jornalista descreve em seu primeiro livro a jornada de algumas mulheres negras em suas rotinas diárias como empregadas domésticas, seus medos, anseios, dificuldades e sonhos. Baseado em uma história real, a trama mostra o lado humano das trabalhadoras e também o das patroas não tão simpáticos quanto elas pensavam ser. 


Volver (Volver)
Direção: Pedro Almodóvar, 2006
Uma família de mulheres lidando com questões do passado que envolve o masculino e reflete no momento presente de suas vidas. Uma mãe tendo que enterrar o marido morto pela filha e perdoar sua própria mãe por erros cometidos no passado. Uma temática totalmente voltada para o feminino.


E agora, aonde vamos? (Et maintenant on va où?)
Direção: Nadine Labaki, 2011
A trajetória de várias mulheres católicas e muçulmanas num pequeno vilarejo para tentar distrair seus maridos e filhos, e evitar que eles não caiam em outra guerra civil e se matem. Através de ideias mirabolantes essas mulheres criam mecanismos para cuidar de seus homens.
Veja crítica do filme: E agora, aonde vamos?



As horas (The hours)
Direção: Stephen Daldry, 2002
Três mulheres em três épocas diferentes, cada uma em sua jornada vivendo uma mentira e colocando outra pessoa em primeiro plano em suas vidas. Uma escritora, uma dona de casa e uma editora unidas no romance de Virginia Woolf "Mrs. Dalloway". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário