quinta-feira, 30 de julho de 2015

CineBlissEK lança o desafio durante o mês de agosto de assistir um filme por dia


O blog CineBlissEK decide aventurar-se ainda mais no universo cinematográfico através do desafio de assistir um filme por dia durante todo o mês de agosto chamado de #UmFilmeporDia. O objetivo desse projeto é aumentar o conhecimento sobre diferentes gêneros do mundo das imagens em movimento e compartilhar com os leitores as impressões de cada obra.

O diário dessa jornada de filmes será publicada diariamente na página do Facebook e também no Letterboxd. Algumas obras cinematográficas terão as divagações postadas no site do blog. O planejamento para essa maratona terá início em 1 de agosto e vai até 31 de agosto.

Sugestões e dicas de filmes são bem-vindas para a realização desse projeto, assim como comentários ou críticas. As recomendações de filmes podem ser de qualquer gênero, ano ou nacionalidade, basta indicar o nome da obra cinematográfica para o CineBlissEK tentar assistir e dessa forma compartilhar as considerações do filme. Mãos à obra, nesse caso, olhos à obras cinematográficas!
CineBlissEK

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Confira 10 personagens marcantes do cinema mundial para o CineBlissEK


Qualquer narrativa seja no universo da literatura, teatro ou cinema há sempre a personagem, figura indispensável para construir o conflito e acima de tudo para o desenrolar das ações. Assim como nas outras artes, o cinema muitas vezes cria intérpretes tão marcantes e complexos cujo resultado é visualizado no sucesso do filme, numa posição de destaque na tradição cinematográfica e principalmente na memória de milhares de fãs ao redor do mundo.

Para idolatrar ainda mais essas figuras do cinema, o CineBlissEK seleciona as 10 personagens mais significativas do mundo cinematográfico, lembrando que a lista é com base na identificação e fascínio do blog. Com certeza houve uma enorme dificuldade para chegar nesses 10 e deixar tantos outros de fora, talvez os eliminados entrem para uma próxima seleção. Divirta-se com as personagens memoráveis do cinema mundial.  



Personagem: Carlitos ou "O Vagabundo"
Intérprete: Charles Chaplin (16/04/1889 - 25/12/1977)
Filmes: O Garoto (1921); O circo (1928); Luzes da Cidade (1931); Em busca do ouro (1925);






Personagem: Darth Vader
Intérprete: David Prowse (01/07/1935) / James Earl Jones - voz (17/01/1931)
Filmes: Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança (1977); Star Wars Episódio V: O Império Contra-Ataca (1980); Star Wars Episódio VI: O Retorno de Jedi (1983); 







Personagem: Coringa ou Joker
Intérprete: Heath Legder (04/04/1979 - 22/01/2008)
Filmes: Batman - O cavalheiro das trevas (2008)
 





Personagem: Indiana Jones
Intérprete: Harrison Ford (13/07/1942)
Filmes: Indiana Jones e o templo da perdição (1984); Indiana Jones e a última cruzada (1989); Indiana Jones e o reino de cristal (2008)






Personagem: Hannibal Lecter
Intérprete: Anthony Hopkins (31/12/1937)
Filmes: O silêncio dos Inocentes (1991); Hannibal (2001)






Personagem: Don Corleone
Intérprete: Marlon Brando (03/04/1924 - 01/07/2004)
Filmes: O poderoso chefão (1972)  







Personagem: Amélie Poulain
Intérprete: Audrey Tautou (09/08/1976)
Filmes: O fabuloso destino de Amélie Poulain (2001)
 





Personagem: Rocky Balboa 
Intérprete: Sylvester Stallone (06/06/1946)
Filmes: Rocky - Um lutador (1976); Rocky 2 (1979); Rocky 3 (1982); Rocky 4 (1985); Rocky 5 (1990); Rocky Balboa (2006);  






Personagem: Capitão Jack Sparrow
Intérprete: John Depp (09/06/1963)
Filmes: Piratas do Caribe: E a maldição do pérola negra (2003); Piratas do Caribe: O baú da morte (2006); Piratas do Caribe: No fim do mundo (2007); Piratas do Caribe: Navegando em águas misteriosas (2011); 
 





Personagem: Noiva, Mamba Negre ou Beatrix Kiddo 
Intérprete: Uma Thurman (29/04/1970)
Filmes: Kill Bill Volume 1 (2003); Kill Bill Volume II (2004) 

 

quinta-feira, 23 de julho de 2015

"Closer - Perto Demais" retrata o jogo de sedução entre casais e as dificuldades da separação


Relacionamento amoroso é algo inerente do ser humano, as pessoas se conhecem, sentem-se atraídas um pelo outro, apaixonam-se, criam laços afetivos e na maioria dos casos oficializam com o ato institucional do casamento. Cada casal desenvolve a sua fórmula para o convivo diário e as realizações de sonhos conjuntos. No entanto a jornada amorosa não é feita de um mar de rosas, pelo contrário exige de cada um a superação de traumas, medos, tentações e frustrações. O filme de 2004 "Closer - Perto Demais" do diretor americano Mike Nichols (Primeira noite de um homem; Quem tem medo de Virginia Woolf?) retrata através da história de dois casais, o universo das relações amorosas com seus altos e baixos e principalmente o jogo de sedução ao qual cada um se predispõe a vivenciar.

A narrativa começa com o flerte casual da jovem americana Alice (Natalie Portman) com o jornalista inglês Dan (Jude Law) nas ruas de Londres, a troca de olhares dos dois resulta com o atropelamento de Alice por não prestar atenção as diferenças de sinalizações entre Estados Unidos e Inglaterra. Ao som da melodia "Blower's Daughter" de Damien Rice, a imagem mostra o encontro de duas pessoas desconhecidas e a possível atração nutrida por ambos. A jovem ao despertar do desmaio diz à Dan "Hello stranger", essa sentença já perpassa a ideia do filme em questionar como cada parceiro é um tanto quanto estranho para o outro mesmo quando acreditam ter intimidade.

O filme na sequencia pula para outra cena com Dan sendo fotografado por Anna (Julia Roberts) para capa de seu livro baseado nas histórias de sua namorada Alice como striptease. Nesse momento entende-se que Dan e Alice formam um casal, porém o jornalista tenta seduzir Anna por acreditar estar apaixonado por ela. Esse jogo de sedução de Dan e Anna resulta num beijo e também na descoberta de Alice quando vai ao apartamento para encontrar-se com o namorado.

Novamente há um salto na narrativa e tem-se a apresentação do quarto personagem, o médico Larry (Clive Owen), ao ter caído em uma brincadeira online de Dan, encontra-se por acaso com Anna em um aquário e os dois após discutirem o mal entendido, são afetados pelo amor e estabelecem uma união. A partir do encontro dos quatro na vernissage de Anna, os casais são expostos à atração e desejo pelo outro e a fidelidade é colocada em teste. Dan sente-se atraído por Anna, porém não quer abandonar Alice. Anna casa-se com Larry sem conseguir tirar Dan de sua cabeça. Alice entrega-se por completo ao amor de Dan, contudo sente um certo distanciamento dele. E por último Larry apaixonado por Anna e ao mesmo tempo um observador dos comportamentos humanos. Uma mistura de emoções, medos, inseguranças e desejos sexuais que norteiam a jornada desses casais. 

"Closer - Perto Demais" baseada em uma peça teatral de Patrick Marber que assina o roteiro, trás em pauta através de diálogos afinados, questões sobre: o que é amor? Até que ponto uma pessoa consegue resistir à tentação antes de cometer um ato de infidelidade? Como o ser humano tem seus pontos fracos e suscetíveis ao vício. E quão complicado e dolorido é a separação amorosa.

Mike Nichols nessa adaptação teatral para o cinema conta com um time de estrelas de Hollywood, com ótimas interpretações de Natalie Portman e Clive Owen, ambos indicados ao Oscar de Melhor Atriz e Ator Coadjuvante. Ele com toda sua experiência conduz de forma concisa a narrativa, enfatiza as fragilidades humanas e as dificuldades de superação de um rompimento. O filme com certeza é a visualização de uma forma elegante das relações amorosas, porém sem o lado romântico e açucarado, e sim cruel, frio e doloroso.
CineBlissEK



Curiosidades: 
  • Clive Owen interpretou o papel de Dan nos teatros londrinos;
  • Natalie Portman precisou ter aulas de pole dance para interpretar Alice;

Ficha Técnica: 

Closer - Perto Demais (Closer)
2004, Estados Unidos/Reino Unido/Irlanda do Norte
Direção: Mike Nichols 
Roteiro: Patrick Marber
Produção: Cary Brokaw, John Calley, Mike Nichols, Robert Fox, Scott Rudin
Fotografia: Stephen Goldblatt
Elenco: Clive Owen, Jude Law, Julia Roberts, Natalie Portman,  

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Para um feliz Dia do Amigo, o CineBlissEK faz uma lista com 10 filmes que retratam esse elo de amor


Comemora-se hoje o Dia do Amigo, essa segunda família como muitos costumam dizer alimenta a alma de cada indivíduo dando momentos de alegria, cumplicidade, suporte, desabafo, risos e choros. Qualquer pessoa tem uma história marcante para contar sobre uma fase compartilhada com um verdadeiro amigo e como isso sensibiliza a jornada da vida com coragem,força e alegria.

O cinema assim como outras artes utiliza do tema Amizade para contar suas histórias e emocionar o público. Muitos enredos são elaborados com base na fraternidade de duas ou mais pessoas. Para homenagear o Dia do Amigo, o CineBlissEK faz uma lista com 10 filmes que retratam a questão da amizade com suas jornadas de amor, união e companheirismo. A lista completa dos filmes encontra-se em: CineBlissEK-Dia do Amigo


E.T. - O extraterrestre (E.T. - The Extra-Terrestrial)
Direção: Steven Spielberg, 1982
Elenco: Henry Thomas, Robert MacNaughton, Drew Barrymore


O menino Elliott (Henry Thomas) encontra no quintal de sua casa uma criatura um tanto quanto estranha, um extraterrestre. Com a inocência de uma criança ele decide esconder esse E.T. em seu quarto e ajudá-lo a voltar para casa. Através do amparo, Elliott e E.T. desenvolvem um elo de amizade capaz de comprometer a vida dos dois. 
  

Thelma e Louise (Thelma & Louise)
Direção: Ridley Scott, 1991
Elenco: Geena Davis, Harvey Keitel, Susan Sarandon, Brad Pitt


Thelma (Geena Davis) e Louise (Susan Sarandon) decidem fazer uma viagem de férias para descansar, contudo no caminho as duas deparam-se com um imprevisto que mudará a vida de cada uma delas. Nessa jornada pelo Grand Canyon a dupla renova os laços da amizade e tornam-se cúmplices do destino escolhido.
Leia a crítica completa em: Thelma e Louise


Cinema Paradiso (Nuovo Cinema Paradiso)
Direção: Giuseppe Tornatore, 1989
Elenco: Philippe Noiret, Salvatore Cascio


O sucedido diretor de cinema italiano Salvatore recebe a notícia da morte de um grande amigo da época de sua infância em sua terra natal. Ao encaminhar-se para o velório de Alfredo (Philippe Noiret), Salvatore começa a recordar o início da amizade entre os dois e as consequências que esse elo trouxe a vida de cada um, tendo o cinema como ligação.  


Curtindo a vida adoidado (Ferri's Bueller day off)
Direção: John Hughes, 1986
Elenco: Matthew Broderick, Alan Ruck, Mia Sara


Ferris Bueller (Matthew Broderick) junto de sua namorado e do seu amigo Cameron (Alan Ruck) decidem faltar um dia da escola para se aventurarem pelas ruas de Chicago em uma Ferrari. O trio na grande cidade aproveitam de todas as formas possíveis o dia livre, enquanto que o diretor da escola e a irmã de Ferris tentam encontrá-los para o acerto de contas. 


Um sonho de liberdade (The Shawshank Redemption)
Direção: Frank Darabont, 1994
Elenco: Tim Robbins, Morgan Freeman, Bob Gunton


Ao ser acusado de matar a esposa, o bancário Andy Dufresne (Tim Robbins) é condenado à prisão perpétua no presídio de Shawshank. No confinamento, o quieto Andy constrói uma verdadeira amizade com outro condenado, Red (Morgan Freeman). Juntos eles trocam confidências sobre suas vidas do lado de fora, os sonhos esquecidos e a esperança que cada um nutre em seu coração, a liberdade. 


Encontros e desencontros (Lost in translation)
Direção: Sofia Copolla, 2003
Elenco: Bill Murray, Scarlett Johansson


Em um hotel na cidade de Tóquio dois americanos têm seus caminhos cruzados. Bob (Bill Murray) um ator famoso contratado por uma marca de whiskey para fazer publicidade no Japão e Charlotte (Scarlett Johansson) uma jovem incerta sobre sua real vocação. O encontro dos dois ocasiona em desabafo de se estar morando em outro país com uma cultura diferente dos Estados Unidos, conversas existenciais e principalmente no elo de uma amizade que não precisa de tradução.


Tomates verdes fritos (Fried green tomatoes)
Direção: Jon Avnet, 1991
Elenco: Kathy Bates, Jessica Tandy, Mary Stuart Masterson, Mary Louise Parker


Em duas épocas diferentes, dois pares de amigas constroem suas relações de amizade através de amor, coragem e força. De um lado há a esposa infeliz Evelyn Couch (Kathy Bates) que ao visitar junto do marido uma casa de repouso faz amizade com uma simpática senhora Ninny Threadgoode (Jessica Tandy). Evelyn e Ninny iniciam uma fraternidade através da narração da história de outras duas mulheres do passado Idgie Threadgoode (Mary Stuart Masterson) e Ruth Jamison (Mary Louise Parker) que juntas construíram um café e também uma amizade.


Ernest e Célestine (Ernest et Célestine)
Direção: Benjamin Renner, Stéphane Aubier, Vincent Patar
Elenco:  Lambert Wilson, Pauline Brunner


O encontro inesperado e praticamente impossível entre dois inimigos gera uma amizade pra lá de engraçada. O urso Ernest (Lambert Wilson) que por não ter boas condições financeiras assalta às vezes uma doceria e uma ratinha Célestine (Pauline Brunner). A pequena rata ao realizar um trabalho na parte de cima da cidade fica perdida do seu lar e encontra abrigo junto de seu opositor. A dupla causa diversas confusões ao tentar escapar da polícia e assim também criam uma cumplicidade de afeto e carinho.


Harry Potter e a pedra filosofal (Harry Potter and the sorcerer's stone)
Direção: Chris Columbus, 2001
Elenco: Daniel Radcliffe, Rupert Grint, Emma Watson


O menino de 10 anos de idade Harry Potter (Daniel Radcliffe) no dia do seu aniversário recebe o chamado de aventurar-se em uma realidade completamente diferente da habitual, o mundo dos bruxos. Ao adentrar nesse universo mágico, Harry depara-se com o passado de seus pais falecido, seu poder de bruxo e no inimigo número um de todos, Voldermort. Para ajudá-lo a combater a ameaça desse opositor, o jovem bruxo conta com a amizade de Rony Weasley (Rupert Grint) e Hermione Granger (Emma Watson) que juntos desenvolvem uma amizade e mais seis continuações da série. 


O mágico de Oz (The wizard of Oz)
Direção: Victor Fleming, 1939
Elenco: Judy Garland,


A menina Dorothy (Judy Garland) ao ter problemas com sua vizinha e seus tios decide fugir de casa, no entanto no caminho acaba enfrentando um tornado que a direciona para um mundo chamado de Oz. Nesse universo mágico, Dorothy opta por querer voltar para casa, porém precisa seguir o caminho dos tijolos amarelos para encontrar-se com o mágico de Oz, único capaz de fazê-la retornar ao lar. Para essa jornada a menina conta com a ajuda de três amigos, o Homem de Lata, o Leão e o Espantalho.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Da união das vozes da mente surge a animação "Divertida Mente"


Saber o que se passa na mente de uma outra pessoa talvez seja uma das maiores curiosidades do ser humano, com certeza muitos já se perguntaram: "O que ele(a) está pensando"?, com essa questão o diretor Pete Docter (Up - Altas aventuras; Monstros S.A.) trás as telas de cinema uma das histórias mais criativas do universo cinematográfico atualmente. Em "Divertida Mente" o espectador é contemplado com a trajetória da menina Riley desde o seu nascimento até seus 11 anos de idade. Essa jornada é enaltecida de um lado pela perspectiva da garota e do outro através da mente dela com elementos da emoção, cuja função é guiar a vida de Riley.

As cinco emoções de Riley, Alegria (Amy Poehler/Miá Mello), Tristeza (Phyllis Smith/Katiuscia Canoro), Medo (Bill Hader/Otaviano Costa), Raiva (Lewis Black/Léo Jaime) e Nojinho (Mindy Kaling/Dani Calabresa) convivem dentro da cabeça da menina, na parte dos olhos e tem uma sala de controle para enviar os sentimentos para a garota. Quem primordialmente fica no comando é a Alegria proporcionando bolas amarelas que representam as memórias de Riley, nesse caso felizes. Para cada emoção existe uma bola respectiva da cor, esse amontoado de bolas caracterizam a índole da menina e através disso formam-se ilhas de personalidade, no caso dela há a da Família, dos Amigos, da Honestidade, da Baboseira e do Hockey.

Tudo parece caminhar na devida harmonia até o chamado à aventura de Riley quando muda-se para a cidade de São Francisco, juntamente com isso na central de comando começa a acontecer desentendimentos entre a Alegria e a Tristeza causando confusão e resultando na ejeção delas para outro lugar da mente de Riley, especificamente nas memórias de longo prazo. A partir disso, o filme dividi a história em duas jornadas, uma é da menina que não sente mais alegria ou tristeza, tornar-se indiferente e o começo de crises da adolescência, enquanto em sua mente há a outra trajetória sendo traçada pelas duas emoções. Alegria tenta de todas as formas buscar uma maneira de voltar para a central de comando enquanto Tristeza até arrisca ajudá-la mas tem acesso de desânimo e desesperança.

No labirinto de lembranças de Riley, Alegria e Tristeza encontram aliados para lhes ajudar no caminho de volta, assim como provações a cada tentativa de sucesso. A forma como as aventuras das duas emoções são mostradas é de uma beleza e criatividade sem tamanho, cada lugar que elas acessam na mente da garota remete ao público imaginar se talvez realmente não seja isso que aconteça com cada pessoa. Alegria e Tristeza visitam lugares bem interessantes como a Ilha da Imaginação e a Fábrica de Sonhos (parecido com uma produção de filme) e claro causando confusões no esforço de chegarem ao destino de comandarem novamente a mente da garota.

Do lado de fora, Riley sofre com a adaptação na nova escola ao ponto de elaborar um plano de fuga de volta a sua cidade natal, essa estratégia também vem de sua mente, contudo orquestrado pela Raiva que decide introduzir uma lâmpada de grande ideia para sugerir essa saída de casa.

Assim como a animação trás a complexidade da mente com as emoções comandando a vida de Riley, há também os mesmos sentimentos na cabeça da mãe e do pai, que são mostrados de uma maneira hilária. Como na cena ao qual a família está na comunhão do jantar e a mãe pergunta a menina como foi o primeiro dia de escola, Riley como havia chorado na sala diz que foi ok, a mãe vendo o estado da filha olha para o marido em busca de apoio, contudo a mente dele está assistindo um jogo de futebol e não faz ideia de qual era a conversa. Há também a sequencia do garoto quando esbarra em Riley e sua mente apita um sinal de alerta vermelho dizendo "menina".  

Como a maioria das obras cinematográficas há a moral da história e nesse caso, com uma profundidade emocionante, pois a Alegria reconhece com o choro a função da Tristeza e vê o quão o seu papel é importante para a vida de Riley uma vez que através do último sentimento cria-se a aproximação, união, afeto e compaixão. Com a junção de Alegria e Tristeza as memórias da garota ganham outra relevância e as bolas misturam as colorações das duas. É interessante notar a cor azul predominante na Tristeza e no cabelo de Alegria, pois em inglês a tonalidade azul é chamada de "blue" que também pode ser traduzida como o estado de espírito triste.

Visto que uma grande parte das animações atualmente sejam voltadas não só ao público infantil como também aos adultos, "Divertida Mente" talvez esteja mais interligada com o telespectador crescido, afinal a identificação é mais palpável assim como o fascínio de visualizar com criatividade e colorido como poderia ser a representação da mente de cada pessoa. O diretor Pete Docter com certeza proporciona a plateia uma das mais divertidas e originais animação dos últimos anos.  
CineBlissEK



Curiosidades: 
  • A ideia do diretor em produzir esse filme veio do nascimento de sua filha e a curiosidade de saber o que passava-se na cabeça dela;
  • Cada emoção foi pensando com base num formato: Alegria como estrela; Tristeza como lágrima; Raiva como tijolo; Nojinho como brócolis; Medo como um nervo exposto; 
  • As emoções explícitas no filme  foram baseadas em outra animação da Walt Disney, "Branca de neve e os sete anões";

Ficha Técnica: 

Divertida Mente (Inside Out)
2014 , Estados Unidos
Direção: Pete Docter, Ronaldo Del Carmen
Roteiro: Josh Cooley, Meg LeFauve, Pete Docter
Produção: Jonas Rivera

segunda-feira, 13 de julho de 2015

CineBlissEK elege 5 filmes para celebrar o Dia Mundial do Rock Roll


Hoje celebra-se no Brasil o Dia Mundial do Rock Roll, a data comemorada apenas em território nacional foi criada em meados dos anos de 1990 por duas estações de rádio paulistanas que decidiram homenagear o Rock Roll no mesmo dia que ocorreu o megaevento de 1985, o Live Aid. Essa justificativa foi usada devido ao desejo do cantor Phil Collins de celebrar esse ritmo no mesmo dia do evento.

Para homenagear esse estilo musical venerado por milhares de fãs ao redor do mundo, o CineBlissEK fez uma lista com cinco filmes que retratam o Rock Roll em sua raiz, com história de autobiografia de banda, formação de grupo musical e até mesmo o documentário com uma das maiores bandas de Rock Roll, The Beatles. Confira as obras cinematográficas e deleite-se com esse ritmo contagiante e alucinante.



Os reis do iê, iê, iê (A hard day's night)
Diretor: Richard Lester, 1964
Elenco: George Harrison, John Lennon, Paul McCartney, Ringo Starr


Em formato de documentário, o filme "Os reis do iê, iê, iê" retrata um dia na vida de uma das bandas mais famosa da história do Rock Roll, The Beatles. Os quatro integrantes, Paul, George, John e Ringo mostram como são assoberbados com os deveres de rockstar e decidem boicotar alguns compromissos para terem um pouco de tempo livre para atividades simples de um jovem.


The Doors (The Doors)
Diretor: Oliver Stone, 1991
Elenco: Val Kilmer, Meg Ryan, Kathleen Quinlan


Uma autobiografia cinematográfica da banda "The Doors" que narra a vida do jovem Jim Morrison interpretado por Val Kilmer. O filme mostra o antes da fama, o encontro com os integrantes da banda, a formação do grupo e o caso amoroso com Pamela (Meg Ryan) assim como as traições. Nessa jornada musical recheada com alta dose de alucinógenos, Jim conhece a fama e também o declínio de sua vida.  


Escola de Rock (School of Rock)
Diretor: Richard Linklater, 2003
Elenco: Jack Black, Joan Cusack, Joey Gaydos Jr., Sarah Silverman


O roqueiro Dewey Finn (Jack Black) idolatra o Rock Roll mas que tudo na vida, contudo quando é demitido de sua banda ele aceita um trabalho temporário como professor de uma escola infantil. No entanto para dar as aulas ele se passa no lugar de seu colega de quarto. O que era para ser ensinamento básico, acaba tornando-se em um curso musical com o objetivo de formar um grupo de Rock Roll com crianças.


Quase famosos (Almost Famous)
Diretor: Cameron Crowe, 2000
Elenco: Kate Hudson, Frances McDormand, Jason Lee, Philip Seymour Hoffman



Baseado em fatos da vida do próprio diretor do filme Cameron Crowe, a narrativa conta a jornada do adolescente apaixonado por Rock Roll contratado pela revista Rolling Stones para acompanhar a banda Stillwater. No convívio diário com os integrantes do grupo, Jimmy Fallow (Jimmy Fallow) tornar-se amigo do grupo perdendo a objetividade jornalística.


The Wonders - O sonho não acabou (That thing you do!)
Diretor: Tom Hanks, 1996
Elenco: Tom Everett Scott, Liv Tyler, Tom Hanks, Steve Zahn  


O jovem vendedor Guy Patterson (Tom Everett Scott) tem sua vida mudada completamente quando é convidado a substituir um baterista, no instante de tocar a melodia mais famosa da banda decide por contra própria mudar o ritmo da canção, resultando no estopim e para o sucesso. Dessa maneira, ele e mais três integrantes conhecem o gostinho da fama em pleno anos 60.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

CineBlissEK trás uma lista com os 10 melhores filmes de ficção científica


Um dos gêneros mais populares do cinema e também um dos mais difíceis de definir, a ficção científica com sua abordagem do mundo através da imaginação misturado com áreas da ciências proporciona ao público na maioria das vezes uma viagem a mundos futurísticos, planetas desabitados, robôs super desenvolvidos, computadores avançados, armas mais potentes e claro heróis nem tão comuns empreendedores de jornadas galácticas ou mentais.

A ficção científica tem por excelência trabalhar com tecnologia de ponta para desenvolver mundos inimagináveis e personagens fora do padrão da realidade. O público alvo desse gênero busca nesses filmes uma possibilidade de visualizar objetos, cidades ou carros que ainda são inexistentes, mas prováveis de um dia tornar-se real.

O CineBlissEK preparou uma seleção dos 10 melhores filmes de ficção científica para os admiradores desse gênero que fascinam-se com o universo futurístico e tecnológico criado pelo cinema. A lista completa encontra-se em: Cineblissek Melhores Filmes de Ficção Científica


Star Wars: Episódio V - O império contra-ataca (Star Wars: Episode V - The empire strikes back)
Direção:  Irvin Kershner, 1980
Elenco: Mark Hamill, Harrison Ford, Carrie Fisher, Peter Mayhew,


Clássico do cinema, idolatrado por milhares de fãs ao redor do mundo a saga da jornada do herói através de Luke Skywalker (Mark Hamill) no episódio V, viaja para o planeta Dagobah para encontrar-se com o mentor de Jadi, o mestre Yoda. Nesse local o jovem aprimora seus ensinamentos para consequentemente lutar contra o vilão Darh Vader, ao qual no embate final recebe uma notícia bombástica. Enquanto isso seus aliados, Hans Solo (Harrison Ford), Chewbacca (Peter Mayhew) e princesa Léia (Carrie Fisher) buscam impedir os planos de Darth Vader, mas acabam como seus prisioneiros.  


Blade Runner - O caçador de andróides (Blade Runner)
Direção: Ridley Scott, 1982
Elenco: Harrison Ford, Rutger Hauer, Sean Young, Edward James Olmos, Darlyl Hannah


Em uma era futurística e decadente o policial Dick Deckard (Harrison Ford) é contratado para capturar seis andróides chamados de Replicantes que se revoltaram contra o sistema e estão em busca de respostas. Nessa jornada de caça por essas máquinas quase humanas, o policial começa a questionar a existência e o amor.


2001 - Uma odisseia no espaço (2001 - A space odissey)
Direção: Stanley Kubrick, 1968
Elenco:  Gary Lockwood, Keir Dulle, Leonard Rossiter


Considerado por muitos como um dos maiores filmes já feito na história do cinema, o clássico de ficção científica narra em três períodos a evolução do ser humano, desde os primórdios com os macacos até o mais avanço tecnológico do homem com a nave Discovery controlada pelo computador Hal. O desenvolvimento de cada estágio acontece com a descoberta do monólito. 
Um filme repleto de efeitos especiais, imagens belíssimas e a abordagem de questões filosóficas e religiosas.


Ela (Her)
Direção: Spike Jonze, 2013
Elenco: Joaquin Phoenix, Amy Adams, Rooney Mara, Scarlett Johansson


Em uma cidade retrô e ao mesmo tempo futurística vive Theodore (Joaquim Phonex) escritor de cartas que após se separar de sua esposa busca na solidão uma companhia. Sua vida muda drasticamente quando começa a se relacionar com Samantha (Scarlett Johansson) um programa de computador. No convívio amoroso o casal homem e máquina trocam experiências, medos e juras de amor. A relação dos dois é de extrema sensibilidade aparentando algumas vezes a possibilidade de Samantha ser humana. 
Leia a crítica do filme:  Her


Matrix (The Matrix)
Direção: Andy Wachowski e Lana Wachowski, 1999
Elenco: Keanu Reeves, Carrie-Anne Moss, Laurence Fishburne


Num futuro próximo vive o solitário programador de sistemas Neo (Keanu Reeves) que passa suas noites invadindo computadores, seu chamado a aventura ocorre quando duas pessoas aparecem em sua porta, Morpheus (Laurence Fishburne) e Trinity (Carrie-Anne Moss) convidando-o a se juntar a um colisão de refugiados do sistema existente. Neo após recusar o chamado decidi unir-se a dupla para combater os computadores que tomaram conta da humanidade e libertar os seres humanos.


O exterminador do futuro 2 (Terminator 2: Judgement day)
Direção: James Cameron, 1991
Elenco: Arnold Schwarzenegger, Edward Furlong, Leslie Hamilton, Robert Patrick


A parte dois do filme "O exterminador do futuro" mostra a volta do cyborg interpretado por Arnold Schwarzenegger não como vilão, mas um protetor do jovem John Connor (Edward Furlong), líder da resistência humana contra a empresa CyberNet. Essa companhia envia um robô (Robert Patrick) para matar John Connor, contudo o rapaz tem ao seu lado a mãe Sarah Connor (Leslie Hamilton) e claro Arnold Schwarzenegger para lhe ajudar.   


De volta para o futuro (Back to the future)
Direção: Robert Zemeckis
Elenco: Michael J. Fox, Christopher Lloyd


A amizade do adolescente Marty McFly (Michael J. Fox) com o cientista maluco Dr. Brown (Christopher Lloyd) resulta em algo surpreendente quando o cientista desenvolve uma máquina que possibilita viajar no tempo, Marty acaba indo parar nos anos 50, época ao qual nem era nascido. Nessa viagem ele encontra pessoas do seu cotidiano, criando confusões e modificando o futuro. Para consertar a bagunça ele precisa arrumar um jeito de voltar para os anos 80.


A origem (Inception)
Direção: Christopher Nolan, 2010
Elenco: Leonardo DiCaprio, Ellen Page, Michael Caine, Marion Cotillard, Joseph Gordon-Levitt


O especialista em invadir mente humana Don Cobb (Leonardo DiCaprio) vive como fugitivo por ter cometido atos de espionagem, para conseguir a licença de entrar novamente em seu país, ele precisará fazer um trabalho um tanto quanto fora do comum, ao invés de invadir uma mente ele terá que induzir uma ideia no subconsciente de um grande empresário. Para ajudá-lo nessa jornada em que ilusão e realidade se misturam ele contará com um time bem preparado, porém incertos sobre o sucesso da missão. 


Alien, o oitavo passageiro (Alien)
Direção:  Ridley Scott, 1979
Elenco: John Hurt, Sigourney Weaver


Em meio a uma viagem espacial, os tripulantes de uma nave deparam-se com o surgimento de uma criatura cuja existência se consolida na barriga de um dos integrantes, Kane (John Hurt). Com o nascimento dessa criatura também desponta mortes e terror aos membros da nave. Para impedir esse monstro de fazer mais vítimas a sargenta Ripley (Sigourney Weaver) terá que enfrentar desafios assustadores. 


Metrópolis (Metropolis)
Direção: Fritz Lang, 1927
Elenco: Gustav Fröhlich, Alfred Abel, Brigitte Helm


Considerado por muitos críticos como o primeiro filme do gênero ficção científica, o clássico do expressionismo alemão "Metrópolis" retrata uma sociedade futurística dividida entre sistemas de classes sociais (rico x pobre). Quando o jovem milionário Fredersen (Alfred Abel) conhece a bela operária Maria (Brigitte Helm) este começa a frequentar o mundo dela e ver as condições desumanas de viver dos trabalhadores. Exposto a essa realidade Fredersen decide criar um manifesto para reformas humanas indo contra a sua classe social.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Abra a porta e deixe o novo surgir é a proposta do filme "Enquanto somos jovens"


A maioria da população mundial tem receios sobre o processo de envelhecimento, várias tecnologias são usadas para criar mecanismos destas continuarem jovens sem terem que vivenciar o passar dos anos. Como todos sabemos isso é praticamente impossível, no entanto essa jornada cuja origem é sentida através da crise de meia idade, pode ser aliviada por alguns elementos esquecidos no passado de cada um, como a realização de antigos sonhos, o conforto de envelhecer com a presença do novo através de filhos ou netos e também na possibilidade de buscar esse frescor em companhia de pessoas mais jovens. Essa última forma de encarar esse ciclo é justamente a premissa do novo filme do diretor Noah Baumbach (Frances Ha e A Lula e a Baleia) em  "Enquanto somos jovens". 

O filme já começa com a questão do novo através da cena de um bebê aos cuidados do casal Cornelia (Naomi Watts) e Josh Srebnick (Ben Stiller) quando estes tentam contar a história infantil dos três porquinhos, pela falta de habilidade para segurar a criança e o desconhecimento do conto de fadas percebe-se que esse casal não tem filhos e sentem desconforto ao falar sobre o assunto quando estão frente à frente com os pais do bebê. Com isso mostra-se o conflito do cônjuge pela falta da maternidade e como justificar essa ausência em suas vidas.

Josh produz e dirige documentários assim como sua esposa que é produtora de seu pai, um famoso documentarista. Devido Josh estar envolvido há oito anos em um mesmo projeto que não sabe ao certo definir para angariar recursos financeiros, ele deixa de realizar outras coisas com a desculpa de focar na produção do documentário, essa justificativa faz com que o casal não saia de férias ou converse sobre a possibilidade de ter filhos.

Em uma de suas aulas, Josh conhece Jamie (Adam Driver) e Darby (Amanda Seyfried) jovens alunos admiradores de seu trabalho que se convidam para jantar com ele e sua esposa. A partir desse instante a jornada de Josh e Cornelia partem para um universo desconhecido, ou seja, completamente diferente do habitual para o mundo de pessoas com menos de 30 anos, rotuladas como interessantes, simpáticas, descontraídas e dispostas a compartilhar essa esfera com eles. Esse fato é tão relevante para narrativa ao ponto do diretor destacar com um jogo de luz mais intenso a saída de Jamie e Darby do restaurante com suas bicicletas, o que na linguagem simbólica representa o caminho da iluminação para Josh e Cornelia de suas rotinas sem graça, esse encontro possibilita o despertar para o novo, na direção de diferentes prazeres da vida e uma maneira de vivenciar a juventude outra vez. 

O contraste entre velho x novo a partir de então é visto em todas as cenas, e interessante notar como cada geração busca se entreter. Os jovens gostam de coisas antigas como VHS, televisão analógica, discos de vinil, máquina de escrever e jogo imobiliário. Já o casal de quarentões partem para filmes no Netflix, computador pessoal, música em CD's e jogos eletrônicos, porém todos estão conectados com smartphones e redes sociais. O último apetrecho tornar-se fundamental para aprofundar a relação entre eles, pois Jamie ao relatar seu projeto de documentário de contactar amigos do Facebook pessoalmente e saber como estão suas vidas, convida Josh para co-dirigir o vídeo. 

Logo cada um dos personagens, partem para suas transformações individuais e conjugais ao permitirem serem transportados para esse outro universo ao qual são colocados à prova. Uma das sequencias que representa o direcionamento para mudança é a do ritual de ayahuasca, onde junto com outras pessoas, os quatro demonstram seus medos, inseguranças, sonhos frustrados e objetivos sinceros. Essa cena mostra a cerimônia como uma forma de purificação para cada um e estopim para vivenciarem suas potencialidades.

Para Jamie o potencial está em dirigir o documentário com a produção de Cornelia e de seu pai para alavancar sua carreira ao estrelado, mesmo que isso signifique ir contra certos princípios morais, enquanto Josh aparentemente é terminar o vídeo de oito anos, porém vê-se sua profunda necessidade de melhorar a relação conjugal, ser mais generoso e principalmente ganhar a aprovação do sogro. Para as duas personagens femininas, o diretor poderia ter se dedicado um pouco mais, no entanto suas transformações são notáveis, Darby no sentido de questionar o relacionamento com Jamie e Cornelia em avaliar a real necessidade de ser mãe. E só depois de passar por todas as provações, o casal de quarentões tem a chance de novamente discutir a presença do novo através de um bebê em suas vidas e não tentando imitar um casal de jovens.

A narrativa cujo início trás a mensagem "Abra a porta e deixo-os entrar" baseada na peça Solness, O Construtor (1892), do norueguês Henrik Ibsen  possibilita refletir de uma forma leve e simpática a dificuldade da crise de meia idade (discussão frequente nos trabalhos anteriores do diretor) e também em como o ser humano paralisa as metas pessoais conforme envelhece, uma vez que jovem anseia por diversos objetivos e tenta buscar a realização destes, enquanto na meia idade confronta-se com sonhos frustrados bem como o medo ou conformidade de preferir ficar na zona de conforto.

Se o público espera ver um história água com açúcar com certeza mudará de opinião ao assistir o filme, afinal o diretor utiliza de um roteiro estruturado, boas interpretações e ótima trilha sonora para colocar em pauta discussões importantes da sociedade atual como: a autenticidade dos documentários numa era ao qual todos tem a disposição instrumentos para gravar imagens e divulgar, a utilização de pessoas influentes para alcançar um determinado objetivo, a real necessidade da tecnologia e apuração de notícias em questão de segundos, o fato da maternidade ser incluída ou não na vida de um casal e claro o delicado trabalho de aceitar a ideia de que todos iremos envelhecer como qualquer outra pessoa. 
CineBlissEK



Curiosidades: 
  • Ícone do grupo musical Beastie Boys, Adam Horovitz está no papel de Flatcher amigo do casal;  

Ficha técnica:

Enquanto somos jovens (While we're young)
2014, Estados Unidos
Direção: Noah Baumbach
Roteiro: Noah Baumbach
Produção: Eli Bush, Lila Yacoub, Noah Baumbach, Scott Rudin
Fotografia: Sam Levy
Elenco: Ben Stiller, Naomi Watts, Amanda Seyfried, Adam Driver, Adam Horovitz

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Para celebrar a lei à favor do casamento gay nos Estados Unidos, o CineBlissEK sugere 10 filmes com o tema homossexual


Na última sexta-feira (26) a Suprema Corte dos Estados Unidos aprovou a legalização do casamento gay em todos os estados do país, até então 14 estados ainda não haviam aderido ao reconhecimento do matrimônio de pessoas do mesmo sexo, porém com a ratificação da lei essa vitória aos diretos homossexuais se torna válida para todo o território norte-americano. A conquista dessa legislação para o movimento gay é de extrema importância para a sociedade e principalmente para os homossexuais que há muito tempo reivindicam por direitos iguais.

Com relação ao Brasil, desde de 2011 há o reconhecimento da união homoafetiva com garantia de direitos do Código Civil semelhante aos casais heterossexuais de união estável, porém não há ainda indício da legalização do casamento gay na constituição brasileira. 

Para festejar essa conquista norte-americana, o CineBlissEK elaborou uma lista de 10 filmes que retratam o universo homossexual no cinema. A seleção baseou-se em diversas abordagens sobre o tema gay tais como: a luta por direitos civis, preconceitos, relacionamentos amorosos, a construção de família com pais do mesmo sexo e abuso sexual. Confira os filmes, e descubra mais sobre esse tema considerado polêmico para alguns, e a outros tópico de igualdade e amor. 


O segredo de BrokeBack Mountain (Brokeback Mountain)
Direção: Ang Lee, 2005, Estados Unidos
Elenco: Heath Ledger, Jake Gyllenhaal, Anne Hathaway, Michelle Williams


Dois jovens cowboys desconhecidos, Jack Twist (Jake Gyllenhaal) e Ennis Del Mar (Heath Ledger) aceitam um trabalho temporário nas montanhas do estado de Wyoming. No convivo diário, eles criam uma relação que vai além da amizade para tornar-se amor. Porém por viverem em uma sociedade preconceituosa de 1963 onde ter uma relação com alguém do mesmo sexo é algo abominável podendo gerar a morte, os dois se distanciam após o término do trabalho e cada um segue o seu caminho sem esquecer de BrokeBack Mountain. No entanto, Jack e Ennis anseiam por reviver os momentos amorosos desfrutados na montanha. 


Azul é a cor mais quente (La vie d' Adèle)
Direção: Abdellatif Kechiche, 2013, França
Elenco: Adèle Exarchopoulos, Léa Seydoux


Quando Adèle (Adèle Exarchopoulos) sente que sua vida é um fingimento e nada parece real eis que surge a jovem Emma (Léa Seydoux) para lhe despertar emoções e sensações nunca antes vivida. Contudo para viver esse encantamento da paixão Adèle esconde de todos o relacionamento e se depara com preconceitos por parte da família e amigos.


O jogo da imitação (The imitation game)
Direção: Morten Tyldum, 2014, Estados Unidos/Reino Unido/Irlanda
Elenco: Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Mattew Goode, Mark Strong


Baseado na história real do criptoanalista inglês Alan Turing interpretado por Benedict Cumberbatch, o filme retrata a tentativa de construir uma máquina para  decifrar Enigma, um equipamento alemão utilizado na Segunda Guerra Mundial para enviar mensagens aos soldados alemães. Para Alan, essa missão não é tão impossível quanto assumir sua homossexualidade em um país cujo ato é considerado ilegal nesse período. 


Na cadencia do amor (Lilting)
Direção: Hong Khaou, 2013, Reino Unido
Elenco: Ben Whishaw, Cheng Pei Pei, Peter Bowles, Andrew Leung


Após a morte inesperada do jovem Kai (Peter Bowles), seu namorado inglês Richard (Ben Whishaw) busca uma  aproximação com sua sogra, a cambojana Junn (Cheng Pei Pei) que mora em uma casa de repouso em Londres. Junn em seu processo de imigração não aprendeu a língua inglesa e seu filho era para ela a única pessoa com a qual conseguia se comunicar, com sua morte a comunicação entre ela e Richard se torna quase impossível. Para superar esse obstáculo, Richard contrata uma tradutora para ajudá-lo em se expressar com Junn. Nesse elo de aproximação os dois falam da saudade que sentem do Kai e como o amavam.


Direito de amar (A single man)
Direção: Tom Ford, 2009, Estados Unidos
Elenco: Colin Firth, Julianne Moore, Mattew Goode


Após a morte de seu parceiro o professor de inglês George (Colin Firth) busca mecanismos para tentar continuar a viver. Para isso ele conta com a amizade de Charley (Julianne Moore) e alguns flertes de estudantes. Ainda assim, a saudade do companheiro é cada vez maior fazendo com que ele pense em organizar suas coisas para um possível suicídio.


Minhas mães e meu pai (The kids are all right)
Direção: Lisa Cholodenko, 2010, Estados Unidos
Elenco: Anette Benning, Julianne Moore, Mark Ruffalo


O casal de lésbicas Nic (Anette Benning) e Jules (Julianne Moore) constituíram uma família com dois filhos gerados de um doador de esperma. Inesperadamente os filhos decidem ir atrás do pai deles, o doador Paul (Mark Ruffalo) para criarem uma relação. Porém com a chegada de Paul, algumas coisas começam a mudar incluído o interesse de Jules por ele.


Milk - A voz da igualdade (Milk)
Direção: Gus Van Sant, 2008, Estados Unidos
Elenco: Sean Penn, James Franco, Diego Luna, Emile Hirsch, Josh Brolin


Baseado na vida real do político norte-americano Harvey Milk (1930-1978), o filme trás o ator Sean Penn como Milk em sua busca por direitos iguais aos homossexuais e a candidatura a um cargo público. Foi o primeiro homem do governo a assumir sua preferência sexual por parceiros do mesmo sexo. Na história Milk enfrenta desafios e preconceitos por parte de seu inimigo político interpretado por Josh Brolin. 


Má educação (La mala educación)
Direção: Pedro Almodóvar, 2004, Espanha
Elenco: Gael García Bernal, Daniel Giménez Cacho, Fele Martínez


Num reencontro de dois amigos de infância Ignácio (Gael García Bernal) e Enrico (Fele Martínez) o passado é discutindo trazendo a tona assuntos complicados e sensíveis. Nessa visita Ignácio mostra uma história de sua autoria A visita para Enrico que é um cineasta. A visita é uma trama baseada na infância dos dois meninos que revela segredos obscuros sobre suas vidas em uma escola de padres e principalmente sobre um especifico padre, Manolo (Daniel Giménez Cacho) que fora apaixonado por Ignácio.


The Birdcage - A gaiola das loucas (The Birdcage)
Direção: Mike Nichols, 1996, Estados Unidos
Elenco: Robin Willians, Gene Hackman, Dan Futterman, Calista Flockhart, Nathan Lane


O jovem Val (Dan Futterman) filho de um casal de gays Armand (Robin Williams) e Albert (Nathan Lane) surpreende sua família ao informar sobre seu noivado com Barbara (Calista Flockhart). O  anúncio é mínimo comparado no jantar de apresentações familiares dos jovens, pois o casal homossexual tem que lidar com o pai da moça, o senador Kevin Keeley (Gene Hackman) conservador e propagandista da moral e dos bons costumes.


Hoje eu quero voltar sozinho
Direção: Daniel Ribeiro, 2014, Brasil
Elenco: Ghilherme Lobo, Tess Amorim, Fabio Audi


A versão longa-metragem de "Hoje eu quero voltar sozinha" retrata de forma delicada a rotina do adolescente cego Leonardo (Ghilherme Lobo) e sua amiga Giovana (Tess Amorim) em um colégio particular de São Paulo. A rotina da dupla muda completamente com a chegada de Gabriel (Fabio Audi) que trás novas descobertas, aventuras e um mundo até então desconhecido para Leonardo, o da intimidade.