quinta-feira, 29 de novembro de 2018

"Utøya - 22 de julho" transborda a tensão e o pânico de jovens noruegueses frente à um atentado terrorista



A Noruega, país nórdico da Europa com o melhor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do mundo, viveu em 22 de julho de 2011, um dos piores dias de sua história quando ocorreu uma explosão na zona de prédios governamentais da capital, Oslo, e, poucas horas depois a invasão do terrorista de extrema-direita Anders Behring Breivik, na ilha de Utøya, em que atirou contra centenas de jovens, deixando 77 mortos e dezenas de feridos.

Baseado neste trágico evento, o novo longa do diretor Erik Poppe, "Utøya - 22 de julho" (2018), transborda a tensão e o pânico que se alastraram nos jovens noruegueses durante mais de uma hora de tiroteio na ilha. O filme que estreia hoje nas principais salas de cinema do país, acompanha Kaja (Andrea Berntzen) - uma adolescente prestativa e com personalidade de liderança -, minutos antes de iniciar a onda de tiros e sua busca em encontrar a irmã e sobreviver a esse assustador e caótico cenário.

Com uma câmera praticamente colada em Kaja, o espectador é conduzido freneticamente a cada corrida ou esconderijo da personagem no meio da mata. Dessa forma, pode-se conhecer um pouco sobre alguns dos jovens, suas respectivas histórias e a vontade de viver. Num primeiro momento, a protagonista aparenta estar lúcida em sua procura pela irmã, porém, conforme o tiroteio prevalece ela mergulha em um turbilhão de fatalidades, o que lhe permite dar vazão ao colapso emocional. 

O som é um elemento primordial para unidade dramática de cada cena, pois é através desse mecanismo que o espectador observa a aproximação do atirador ou o desespero dos personagens. O barulho impactante dos tiros, assim como o suspiro, a respiração ofegante ou o silêncio torna a experiência ainda mais real.

Os planos gerais ou close-up mostram imagens devastadoras de corpos estirados na mata ou de rostos perplexos, possibilitando visualizar o cenário desastroso de sonhos interrompidos pelo ato terrorista de um homem. O filme com 98 minutos de duração, consegue captar com primor essa realidade brutal que avassalou esse país de primeiro mundo. Nesse total, 72 minutos de tiroteio são exatamente semelhantes aos vivenciados no acampamento.
CineBliss ***




Ficha técnica:

Utøya - 22 de julho (Utøya 22. juli)
Noruega, 2018
Direção: Erik Poppe
Roteiro: Anna Bache-Wiig, Siv Rajendram Eliassen
Produção: Finn Gjerdrum, Stein B. Kvae
Elenco: Andrea Berntzen, Aleksander Holmen, Brede Fristad

Nenhum comentário:

Postar um comentário