quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

"Poderia me perdoar?" expõe a versão dramática da atriz Melissa McCarthy


A atriz americana Melissa McCarthy conhecida por papéis cômicos em filmes como "Missão madrinha de casamento" (2011) e "Uma espiã que sabia de menos" (2015), abraça com esmero sua versão dramática no filme "Poderia me perdoar?"(2018), da diretora Marielle Heller. A intérprete ao dar vida a escritora falida Lee Israel, reverbera um sofisticado trabalho de harmonizar o lado tímido e ao mesmo tempo agressivo de sua uma personagem, enrijecida pelo teor naturalista. Não é por menos que o longa-metragem concorre ao Oscar 2019 em três categorias incluindo Melhor Atriz para já citada, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Ator Coadjuvante para Richard E. Grant

Com estreia hoje nas principais salas de cinemas do país, o filme situado em 1991, é baseado na história real de Lee Israel quando esta encontrava-se absorta em problemas financeiros e sociais. Num gesto meio por acaso e desesperador, ela decide forjar cartas de personalidades mortas para conseguir faturar alguma grana. Logo, a ação considerada criminosa ganha proporções ainda maiores, já que suspeitas começam a cair sobre Lee. Sem querer parar de lucrar, ela conta com a ajuda do amigo Jack Hock (Richard E. Grant) para transformar o esquema e passa a roubar os textos originais de bibliotecas.  

Por meio de uma narrativa focada primordialmente na construção gradativa da amizade entre Lee Israel e Jack Hock, o filme perpassa por situações consideradas pela sociedade como não tão glamourosa da condição humana como a solidão, a homossexualidade, o alcoolismo, a humilhação e a criminalidade. Ambos personagens transitam neste universo marginalizado e buscam apoio um ao outro para romperem com esses comportamentos padronizados. 

Vale a pena observar três aspectos técnicos do filme utilizados com virtuosismo, a fotografia com uma paleta de cores douradas para os ambientes internos e um tons cinzas para o externo, condizendo com a índole da personagem Lee Israel em sua dificuldade de socialização e receio em dar voz para si própria em seus escritos. Assim como a trilha sonora composta de comoventes canções de jazz e, como não poderia deixar de mencionar, o trabalho de cenografia que exibe nostálgicos e lindos modelos de máquinas de escrever.
CineBliss***


Ficha técnica: 
Poderia me perdoar? (Can you ever forgive me?
Estados Unidos, 2018
Direção: Marielle Heller 
Roteiro:  Jeff Whitty, Nicole Holofcener
Produção: Amy Nauiokas, Anne Carey, David Yarnell
Fotografia: Brandon Trost
Montagem: Anne McCabe
Elenco:  Melissa McCarthy, Richard E. Grant

Nenhum comentário:

Postar um comentário