quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Quando a vida traz questões impossíveis de controlar é a proposta de "Depois do casamento"


"Não podemos controlar tudo na vida" frase do personagem Jorgen em Depois do casamento.

O dinamarquês Jacob (Mads Mikkelsen) faz trabalho voluntário na Índia, em um orfanato, ele é tão envolvido com a ajuda humanitária que tem um carinho especial por um dos meninos Pramod. Contudo, seu projeto está com os dias contados por falta de dinheiro. Ao ser requisitado pessoalmente por um milionário Jorgen (Rolf Lassgard), à voltar para Copenhague, para uma possível ajuda financeira na creche, Jacob reluta mas decide fazer a viagem, ou seja, aceita seu chamado mesmo sem entender o motivo desse encontro.

Em Copenhague ao se reunir com Jorgen, Jacob sente um desinteresse dele pelo projeto voluntário, mas ao mesmo tempo é convidado pelo empresário a comparecer ao casamento de sua filha Anna (Stine Fischer Christensen). Ao chegar à festa Jacob se depara com sua ex-namorada Helene (Sidse Babett Knidsen), e também com uma revelação que mudará todo o destino de sua vida.

O nome Jacob que significa "aquele que vence" é surpreendido quando descobre que Anna na verdade é sua filha e não de Jorgen. Ele imerso em suas emoções paternas decide tirar satisfação com Helene para saber os motivos de nunca ter tido conhecimento dessa paternidade e principalmente porque Jorgen quer ajudar o orfanato na Índia sabendo que isso não lhe trará nenhum benefício.

Para o destino de Jacob não só a descoberta de uma filha, mas outras revelações farão com que sua existência se transforme, ao ponto de ser peça fundamental da tentativa de Jorgen de controlar o rumo da vida de sua família, mas que muitas vezes não é possível, como ele mesmo diz à sua esposa "não podemos controlar tudo na vida".

Um drama familiar que envolve várias formas de tentar controlar situações que saem do controle humano, prerrogativas da vida que são expostas para o público de uma maneira intensa ao focar a câmera nos olhos, bocas e na pele. Como os personagens reagem a cada revelação, a cada descoberta de erros do passado, são percebidos na maneira como olham um para o outro e a câmera para filmar esses olhares.

Porém nem tudo é o que parece ser, a intenção de construir o personagem de Jorgen como maniqueísta voltado para o capitalismo logo se desfaz em algo mais profundo e humano, explicando os motivos de tentar estar em domínio de tudo e até mesmo dos vários copos de bebida alcoólica.

Não são meros personagens, mas seres humanos com situações dramáticas parecidas com qualquer outra pessoa, aí vem a identificação que o filme proporciona ao público ao tratar de questões frágeis, profundas e complexas.

A diretora Susanne Bier que é herdeira do Dogma 95 (proposta de realização de filmes com base na economia de meios, como câmera na mão, iluminação natural, etc) traz no seu drama elementos parecidos com Festa de Família de Thomas Vinterberg como a câmera inquieta de Morten Soborg que retrata documentalmente a vida das crianças pobres na Índia, assim como o contraste entre os dois países, a fria e rica Dinamarca com uma miserável e calorosa Índia.

Para os amantes de um melodrama familiar, Depois do casamento traz todos os elementos possíveis para uma boa choradeira, mas por focar em personagens tão profundos e complexos o filme traça um caminho contrário ao clichê melodramático.
CineBlissEK




Curiosidades:
  • Indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2007

Ficha Técnica:

Depois do casamento (Efter Brylluppet)
2006, Dinamarca/Suécia
Direção: Susanne Bier
Roteiro: Anders Thomas Jensen, Susanne Bier
Produção: Sisse Graum Olsen
Fotografia: Morten Soborg, Ole Kragh-Jacobsen, Otto Stenor, Stine Hein
Elenco: Mads Mikkelsen, Rolf Lassgard, Stine Fischer Christensen, Ida Dwinger, Sidse Babett Knidsen

Nenhum comentário:

Postar um comentário