quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Com um visual estonteante "Animais Noturnos" fascina na fusão de realidade versus imaginação


Durante a vida, cada indivíduo se vê perante decisões a serem tomadas, algumas são inconscientes ou até mesmo banais, como a escolha da fruta para o café da manhã, outras, são um tanto mais complexas, que acabam determinando todo o percurso da jornada da pessoa e, em alguns casos, resultam no tal do arrependimento ou culpa. No caso do mais recente filme do diretor Tom Ford (Direito de Amar), "Animais Noturnos"(2016), a belíssima negociante de arte, Susan (Amy Adams), encontra-se em um momento de crise no casamento e sobre as escolhas feitas até então. Para sua surpresa, ela recebe em sua casa, o manuscrito de um livro, escrito por seu primeiro marido Edward (Jake Gyllenhaal), dedicado à ela.

Ao debruçar-se na leitura da obra intitulada Animais Noturnos, Susan é introduzida na história do personagem Tony Hastings (Jake Gyllenhaal), junto de sua filha adolescente e esposa, prestes a saírem de férias para o Texas. Durante a viagem no meio da madrugada, a família depara-se com um carro composto por três jovens, que aparentemente estão em busca de encrencas. No meio da rodovia, a família sofre com a "suposta" ameaça desses homens e, o evento altera a vida de todos os envolvidos.

Susan, que sofre de problemas de insônia, logo, se vê envolvida na narrativa triste e violenta e,  através desta, desperta para um processo de reflexões sobre sua trajetória. Particularmente, sobre o fim do relacionamento com o primeiro marido, pois, carrega dentro de si, uma certa culpa pela maneira como conduziu o término da relação. Esse fato, aparentemente, é dos nutrientes de inspiração para o livro de Edward. 

O longa metragem,  brinda o espectador com um deleite visual, a fotografia assinada por Seamus McGarvey, contrasta de uma maneira elegante, cada história apresentada, de um lado tem-se um ambiente frio com a cidade de Nova Iorque como cenário, com vários closes up dos olhos de Susan. Do outro lado, tem-se imagens quentes, com planos abertos da paisagem árida do Texas.

Com a fusão da realidade do passado e do presente versus imaginação, a montagem oferece precisão em cada cena, proporcionando um ritmo cativante para a narrativa. O roteiro, por sua vez, na construção das duas histórias, consegue elucidar de uma maneira efetiva a combinação das narrativas. O grande destaque, sem sombra de dúvida, é para Amy Adams, que está estonteante na personagem de Susan, o modo como expressa-se através do olhar e expressão facial, mostra o alto nível da atriz. 
CineBlissEK




Ficha Técnica: 

Animais Noturnos (Nocturnos Animals)
2016, Estados Unidos
Direção: Tom Ford
Roteiro: Tom Ford
Produção: Robert Salerno, Tom Ford
Fotografia: Seamus McGarvey
Elenco: Amy Adams, Jake Gyllenhaal, Aaron Taylor-Johnson, Michael Shannon

2 comentários:

  1. Me motivou a ver, gostei do comentário, agradeço o toque, valeuuuuuuuu

    ResponderExcluir
  2. Olá Marcelo! O filme é muito bom! Vale a pena assistir. Obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir