terça-feira, 11 de outubro de 2016

Festival do Rio 2016 - Os filmes "No andar de baixo" e "Minha amiga do parque", abordam o tema da maternidade


Na maratona cinematográfica carioca no Festival do Rio 2016, o blog CineBlissEK, conferiu dois longas que abordam o tema da maternidade, através de diferentes pontos de vista, tanto na questão do gênero do filme, quanto no enfoque, assim como, a similaridade no quesito da solidão e das dificuldades das mamães.

No suspense inglês "No andar de baixo" (2015), do diretor David Farr, o casal Kate (Clémence Poésy) e Justin (Stephen Campbell Moore) estão no aguardo do primeiro bebê. Coincidentemente, no andar de baixo do flat onde moram, muda-se Jon (David Morrisey) e Theresa (Laura Birn) que também estão à espera do tão sonhado filho. As duas futuras mamães, começam a passar algumas horas juntas, conversando sobre a gestação, dando elo para uma amizade. Todavia, um ocorrido traumático entre os quatro, revela um temperamento assustador de Jon e Theresa, o que cria um certo distanciamento entre eles, temor e suspeitas. 

O diretor que também assina o roteiro, consegue gerar um labirinto de dúvidas em relação a idoneidade de cada personagem, com uma precisa fluidez. A cada nova descoberta, maior tornar-se o mistério. Vale ressaltar, uma certa semelhança com "A mão que balança o berço" (1992), no quesito suspense e tensão. 


Na carona da solidão e fragilidade feminina após o nascimento do bebê, tem-se o longa latino  "Minha amiga do parque" (2015) da diretora Ana Katz, que interpreta a personagem Rosa. Nessa jornada de maternidade não tão romantizada, encontra-se a novata mamãe Liz (Julieta Zylberger), sozinha, insegura e sobrecarregada com os cuidados do filho, uma vez que  o marido está no Chile à trabalho. Dividida entre o apartamento e os passeios no parque, a jovem dedica-se praticamente todo seu tempo ao filho.

Em uma de suas caminhadas pelo espaço público de lazer, Liz conhece Rosa, uma operária e mãe solteira. As duas se aproximam e tornam-se amigas, contudo algumas fofocas das outras mães que também frequentam o parque, sobre o caráter de Rosa, faz com que Liz comece a suspeitar das reais intenções dessa amizade. Além disso, a diferença social alimenta essa sombra de dúvida, pois certos comportamentos de Rosa relacionados à dinheiro, intriga Liz.

Ana Katz, proporciona um retrato palpável sobre a questão da maternidade desacompanhada, todavia, o filme transcorre de uma maneira estancada, vai e volta no mesmo tema da amizade entre as duas mulheres, sem lograr com algo contundente.
CineBlissEK



Nenhum comentário:

Postar um comentário