quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Com delicadeza e sensibilidade "Boi Neon" retrata um colorido no sertão nordestino


Ganhador do Festival do Rio 2015 como Melhor Filme, "Boi Neon"(2015) do diretor Gabriel Mascaro (Doméstica), apresenta de uma maneira poética e estonteante o contraste da aridez do sertão nordestino com o colorido dos restos de panos, através da jornada do vaqueiro de curral Iremar (Juliano Cazarré) com seu sonho de ser estilista. Um road movie que passa pelo asfalto do Nordeste brasileiro com as vaquejadas como foco condutor, uma hibridação de ficção com documental.

Iremar junto de seus companheiros dormem dentro do caminhão onde são transportados os bois, a motorista Galega (Maeve Jinkings) carrega sua filha Geise (Samya de Lavor) nessas andanças, deixando-a participar da realidade desses vaqueiros, ao ponto dela ser uma confidente e amiga de Iremar. Esses personagens conquistam o público com simpatia, carisma e humildade, ao mesmo tempo, que com suas personalidades destoam do perfil desse universo bruto e também da questão de gênero. Como é o caso de Galega, uma mulher com suas vaidades (compra calcinha, faz depilação), mas tem ciúmes de sua caixa de ferramentas. 

Esse fator é ainda mais notório com a jornada de Iremar, vaqueiro, utiliza da força física para o trabalho tendo como hobby, costurar roupas para Galega. A profundidade e delicadeza de seu papel, sensibiliza qualquer espectador, pois a determinação ao qual encara seu sonho de trabalhar com a moda, mesmo em um ambiente inviável para essa realização, faz dele um herói por acreditar nesse desejo e nas horas vagas trabalhar para a consumação. Um personagem que mesmo sem os instrumentos necessários, busca por qualquer objeto que possa ajudá-lo, como pedaços de panos coloridos ou revistas de mulheres peladas para desenhar vestimentas. Em uma das cenas, Iremar ao comprar um perfume em meio aos bois, diz conhecer as fragrâncias e que gosta de ficar cheiroso, outro elemento de desarmonia entre o cenário e o protagonista.

O ritmo da narrativa com uma certa dosagem de humor, é construído de uma maneira eloquente para observar com cautela o contraste predominante tanto no ambiente quanto no personagem. Um local onde a sujeira, a brutalidade e a força diverge com o glamour, limpeza e a delicadeza do sonho de ser estilista. A beleza da fotografia traz imagens desoladas desse universo árido com o colorido do neon. As ótimas atuações de cada personagem em suas jornadas, são construídas não só para auxiliar o herói, como também para sofrerem suas próprias transformações, transmitindo leveza e profundidade ao filme, em meio a uma realidade sofrida e rude.   
CineBlissEK





Ficha Técnica: 

Boi Neon
2015, Brasil/Uruguai/Holanda
Direção: Gabriel Mascaro
Roteiro: Gabriel Mascaro
Produção: Rachel Ellis
Fotografia: Diego García
Elenco: Juliano Cazarré, Maeve Jinkings, Samya de Lavor, Vinícius de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário