sexta-feira, 4 de novembro de 2016

CineBlissEK esteve presente na 40ª Mostra Internacional de Cinema São Paulo e destaca 3 títulos



O blog CineBlissEK, marcou presença em mais uma edição da Mostra Internacional de Cinema São Paulo, que encerrou-se na última quarta-feira (2). Dentre os 10 longas metragens vistos durante a maratona cinematográfica, destaca-se 3 títulos vindos da Dinamarca, México e França/Chile. 
Confira abaixo a lista com os filmes: 


Quando o dia chegar (Der Kommer en dag)
Direção: Jesper W. Nielsen 
Dinamarca, 2016
Elenco: Lars Mikkelsen, Sofie Grabol, Harald Kaiser Hermann, Albert Rudbeck Lindhardt, Lars Ranthe


Em plena década de 1960, dois jovens irmãos são obrigados a dirigirem-se à um reformatório do governo, uma vez que a mãe encontra-se doente, sem condições de criar os filhos. Nesse local, a dupla logo, sente na pele, a maneira utilizada pelo diretor da instituição para fazer valer suas ordens. Munidos apenas de esperança e sonhos, os irmãos buscam diversas maneiras de escaparem desse ambiente perverso, violento e brutal. Baseado em fatos reais, o filme propõe uma profunda reflexão sobre a crueldade do ser humano perante pessoas indefesas, no caso, crianças e adolescentes e, o quanto isso repercute no futuro destes.


Maquinaria Panamericana (Maquinaria Panamericana)
Direção: Joaquín del Paso
México, 2016
Elenco: Javier Zaragoza, Ramiro Orozco, Irene Ramirez, Edmundo Mosqueira, Delfino López


Nessa divertida e crítica narrativa mexicana, encontra-se a fábrica de construção Maquinaria Panamericana, com seus funcionários desestimulados, imersos no marasmo da rotina. Todavia, com o falecimento do dono da companhia - querido por todos - eles se vêm sem alternativa para o futuro, já que a companhia está falida. Liderados pelo contador, fecham o local, para que ninguém saiba do ocorrido e, com isso, tentam ganhar tempo para organizar as finanças da empresa. Com humor negro preciso, cenários um tanto quanto exagerados, cenas bizarras e uma marcante presença de som, o filme apresenta uma discussão social, sem deixar-se cair nas tentações do clichê, pelo contrário, constrói-se na originalidade e bizarrice. 


Poesia sem fim (Poesia sin fin)
Direção: Alejandro Jodorowsky
França/Chile, 2016
Elenco: Adan Jodorowsky, Pamela Flores, Brontis Jodorowsky, Leandro Taub, Alejandro Jodorowsky, Jeremias Herskovits


Santiago, década de 1940 e 1950, encontra-se o jovem Alejandrito Jodorowsky, em busca do sonho ser um poeta, contrariando o desejo dos pais de torná-lo médico. Para isso, ele divertidamente foge de casa e, encontra abrigo junto de outros futuros artistas. Nesse ambiente criativo, ele desperta para seu dom, depara-se com sua musa excêntrica e conhece diversas pessoas, entre elas, intelectuais dessa geração, como Enrique Lihn, Stella Diaz e Nicanor Parra. A narrativa é construída de uma maneira poética, romântica e exagerada, proporcionando nutrientes para uma imaginação infinita, assim como, um roteiro elegante e preciso no humor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário