segunda-feira, 18 de abril de 2016

"Soul Kitchen" conquista pela simpatia e carisma dos personagens


Sabe aquele momento na vida onde nada dá certo, tudo parece esfacelar-se em questões de segundos sem perspectiva de melhoras, para o trapalhão e desastrado cozinheiro e dono do restaurante "Soul Kitchen" mesmo nome do filme, é justamente essa etapa da jornada ao qual ele encontra-se. Lançado em 2009 pelo diretor alemão Fatih Akin (Contra a parede; Do outro lado), a narrativa apresenta de um modo irônico e divertido, as dificuldades de um herói fora do convencional, que busca de todas as maneiras possíveis manter seu restaurante peculiar em meio a um "inferno astral".

Hamburgo, mais especificamente num área industrial, encontra-se o restaurante "Soul Kitchen" cujo dono é o jovem Zinos Kazantsakis (Adam Bousdoukos), suas artimanhas em administrar e cozinhar no estabelecimento divide-se com sua namorada Nadine (Phéline Roggan), que está prestes a embarcar para China numa viagem profissional sem data de volta. Essa situação é apenas o começo de diversas enrascadas ao qual a personagem depara-se nessa conturbada trajetória. Seu irmão Illias (Moritz Bleibtreu) ao sair da prisão pede-lhe um emprego de fachada, Zinos fratura a coluna ao tentar mudar a máquina de lavar louça do lugar e precisa contratar outro chefe para assumir sua posição, também enfrenta problemas com a vigilância sanitária e tributos do governo, e para aumentar seu caos, um amigo de infância resolve fazer jogo sujo para comprar sua propriedade.

Todos esses elementos de pura confusão são encaixados na jornada de Zinos, criando uma atmosfera de tragédia, porém com foco totalmente voltado para a comédia, o humor e divertimento. Algumas cenas chegam a ser exageradas, como a do resgate da escritura do restaurante ou do afrodisíaco na sobremesa servido para os clientes. No entanto, essas demasias não deixam de atrapalhar o objetivo da obra que é entreter seu público com alegria. 

O restaurante "Soul Kitchen", além de ser um personagem em si do filme é o local onde a maioria das cenas ocorrem, reúne pessoas de diferentes tribos para alimentar-se de "comida para alma", expressão utilizada na narrativa, e de ótimas músicas que presenteiam o público com uma trilha sonora de excelência. Os diálogos por sua vez, tornam-se confusos em alguns momentos, todavia sem deixar de evidenciar a simpatia dos personagens que conquista o espectador de imediato, na torcida para um desfecho lúcido e sereno da história. Vale a pena deliciar-se e divertir-se com a vida aos avessos de Zinos, afinal rir nunca é demais.   




Ficha técnica:

Soul Kitchen (Soul Kitchen)
2009, Alemanha/França/Itália
Direção: Fatih Akin
Roteiro:  Adam Bousdoukos, Fatih Akin
Produção: Klaus Maeck
Fotografia: Rainer Klausmann
Elenco: Adam Bousdoukos, Phéline Roggan, Moritz Bleibtreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário