quarta-feira, 23 de março de 2016

Para homenagear o diretor Michael Haneke o CineBlissEK prepara uma lista com 5 filmes do cineasta


Michael Haneke, cineasta austríaco, completa hoje 74 anos de idade com uma refinada carreira no cinema e televisão. Formado em psicologia, filosofia e teatro pela Universidade de Viena, sua estreia nas telonas deu-se em 1989 com "O sétimo continente" e desde então surpreende o espectador em cada novo filme, em virtude de sua ousadia e provocação. Acumula prêmios internacionais, tais como: Melhor Diretor em Cannes 2005 por "Caché", Palma de Ouro por "A fita branca" e "Amor", respectivamente 2009 e 2012, esses dois filmes também foram premiados com Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro e também o Oscar para o último.

O diretor costuma retratar em seus filmes o tema da violência de uma maneira real, crua e sem truque, provocando em seu público uma reflexão involuntária sobre a crueldade e maldade humana. A forma de trabalhar com a câmera geralmente é estática e com planos longos, causando ao espectador a observação, contemplação, julgamento e interação com a narrativa. Seus filmes são conhecidos por trazer uma certa estranheza, cenas chocantes e impactantes. Uma união de imagens instintivas e intelectuais.

Para homenagear Michael Haneke, o blog CineBlissEK seleciona cinco filmes do diretor que elucida sua carreira no universo cinematográfico, conquistando admiradores em todo mundo. 


A professora de piano (La pianist)
2001, Alemanha/França/ Áustria
Direção: Michael Haneke
Elenco: Isabelle Hupert, Benoit Magimel, Annie Girardot,


A professora de piano Érika Kohut (Isabelle Hupert) trabalha em um conservatório em Viena, tem como hobby ir ao cinema assistir sessão de filme pornô, mora com sua mãe controladora e executa em si mesma mutilação do órgão genital. Com a chegada do novo estudante Walter (Benoit Magimel), sua rotina ganha outra dimensão, pois os dois iniciam um romance, baseado em dominação, poder e violência. Um filme intenso, chocante e provocativo. A atriz Isabelle Hupert está plena e magnífica nessa interpretação, o que lhe resultou no prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes em 2001.  


Amor (Amour)
2012, Franca/ Alemanha/ Áustria
Direção: Michael Haneke
Elenco: Jean-Louis Trintignant, Emmanuelle Riva, Isabelle Huppert


O casal de pianistas com mais de 80 anos, Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuelle Riva) vivem em um apartamento em Paris sem dependerem de ninguém, inclusive da filha Eva (Isabelle Huppert), que mora em outro país. Os dois compartilham de uma cumplicidade, afeto e amizade decorrente de anos juntos. No entanto, Anne inesperadamente é diagnosticada com uma doença recorrente da velhice. Georges decide cuidar sozinho da amada Anne, contudo a tarefa torna-se intensa e penosa, pois vê-se a transformação física sofrida por Anne.
Com uma câmera praticamente parada, Haneke expõe de uma maneira acentuada e reflexiva a violência do corpo humano perante o avanço da idade.


A fita branca (Das weisse band)
2009, Alemanha/ Áustria/ França/ Itália
Direção: Michael Haneke
Elenco: Christian Friedel, Josef Bierbichler, Ulrich Tukur


Com uma fotografia branco e preto deslumbrante, "A fita branca" retrata um vilarejo alemão às vésperas da Primeira Guerra Mundial. Nesse local com característica autoritária, as famílias vivem tranquilamente até que alguns eventos estranhos causam medo e pânico nas pessoas. Sem saber ao certo o verdadeiro responsável pelas atrocidades, o professor do coro decidi investigar quem está por trás desses acontecimentos. Conjuntamente, vê-se crianças sofrendo com a educação rígida e violenta por parte de seus pais. Um filme perturbador e tenso, ao qual o diretor elabora uma narrativa sobre a suposta origem da maldade humana.


Violência gratuita (Funny games U.S.)
2007, Estados Unidos
Direção: Michael Haneke
Elenco: Tim Roth, Naomi Watts, Michael Pitt, Brady Corbet


Michael Haneke faz em 2007 uma refilmagem de sua própria obra austríaca de 1997 "Violência gratuita", só que nesse caso com atores falando inglês e nos Estados Unidos. A versão de 2007 é praticamente igual a primeira, uma família de classe alta Ann (Naomi Watts), George (Tim Roth) e o filho vão passar o final de semana na residência à beira de um lago. Enquanto George e o filho arrumam o barco, Ann prepara a comida, logo é surpreendida por um rapaz bem vestido e educado pedindo emprestado ovos. Em seguida, outro jovem parecido junta-se a ele e iniciam um jogo violento e cruel com a família. Estes rapazes interpretados por Michael Pitt e Brad Corbett externam o terror e a maldade sem uma justificativa plausível, eles simplesmente querem causar a violência.
Leia mais em: Violência Gratuita U.S.


Caché (Caché)
2005, França/ Estados Unidos/ Áustria/ Alemanha
Direção: Michael Haneke
Elenco: Daniel Auteuil, Juliette Binoche,


O apresentador de televisão Georges (Daniel Auteuil) tem sua vida mudada completamente quando começa a receber em sua casa vídeos com imagens suas e de sua família. Sem saber o remetente desses vídeos, Georges recorre à polícia sem conseguir ajuda necessária. Ao lado da esposa Anne (Juliette Binoche), eles sentem-se ameaçados e amedrontados diante esses vídeos que cada vez mais tornam-se íntimos e apavorantes, pois supõem-se ser de uma pessoa próxima do casal, já que nessas imagens há a revelação de segredos do passado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário