"Frances Ha" aborda de forma divertida e simpática a jornada de uma bailarina sem talento em Nova Iorque



Os adultos geralmente vem com aquela perguntinha supostamente ingênua para crianças indagando o que eles gostariam de ser quando crescerem, dificilmente se ouve "eu não sei", pelo contrário meninos e meninas respondem com alguma ideia de profissão. No entanto, o caminho para se chegar até esse sonho (ao qual muitas vezes muda) pode ser complicado, confuso ou incerto. Alguns tiram de letra escolher o ofício por toda vida, já para outros o saber até pode ser algo certo, mas como obter o reconhecimento e sucesso é outra conversa, principalmente quando não se tem um objetivo concreto de vida. Esse premissa é o ponta pé inicial para o filme "Frances Ha" (2012) do diretor Noah Baumbach (Enquanto somos jovens; A lula e a baleia) escrito por ele e pela atriz principal Greta Gerwig. 

A bailarina Frances (Greta Gerwig) vive em Nova Iorque em busca do sonho de ser uma dançarina profissional, enquanto a realização desse ideal não ocorre ela ensina balé para crianças e tenta em alguns momentos ser pró-ativa em procurar por oportunidades dentro da escola de dança. Porém seu talento é algo duvidoso, o que dificulta ter a chance de demonstrar sua possível potencialidade e encontrar seu lugar no ambiente que lhe dá prazer, os palcos. 

A questão do lugar é fortemente demarcado no decorrer do filme, tanto pelo lado profissional quanto de moradia, pois Frances devido às suas condições financeiras precisa mudar de endereço por várias vezes. Primeiramente, com sua melhor amiga Sophie (Mickey Sumner) companheira de troca de intimidades e camaradagem, mas que decide deixar Frances para trás por querer morar em um apartamento melhor. Devido a esse fator, a bailarina muda-se para um apartamento descolado de dois rapazes, ao qual um deles passa os dias tentando reescrever roteiros de seriados, contudo sem um projeto de vida o que o identifica com Frances. Por motivos de dinheiro, a jovem desloca-se novamente de endereço e isso ocorre em outras circunstâncias durante a narrativa. 

Frances em sua jornada de se tornar uma dançarina, não tem realmente um plano de vida comparado com alguns de seus amigos, no entanto ela não se deixa intimidar, com seu jeito desengonçado e sem a delicadeza de uma bailarina, ela passa o filme quase todo correndo sem saber ao certo que rumo seguir, onde se encaixar nesse mundo. Seu conflito interno em buscar por sua identidade e espaço é retratado de uma maneira divertida e simpática o que conquista o público. 

Para dar suporte as incertezas dessa caminhada pessoal, Frances conta com um time de amigos que lhe trazem apoio e ajuda para essa transformação. Esse questão é sugerida logo no começo do filme quando Frances e Sophie correm para o metrô e leem-se a indicação para Broadway, essa imagem é como uma dica do diretor em posicionar o público sobre a história ser voltada para o interior da personagem em busca de expressar-se nos palcos da Broadway com a companhia de amigos.

O que torna "Frances Ha" interessante é o caminho traçado do roteiro e direção de sair dos clichês do romantismo para trazer uma obra cinematográfica original, com profundas discussões sobre pessoas que não "dançam" de acordo com as normas da sociedade, mas de um jeito próprio e singular. Essa abordagem é feita de uma maneira alegre, divertida e emocionante. A espontaneidade da atriz Greta Gerwig em dar vida a Frances Ha, heroína carismática e sonhadora é tão contagiante que com certeza cativa milhares de pessoas em todo mundo, cuja identificação ou vontade de fazer a mesma jornada é similar.  
CineBlissEK



Ficha técnica: 

Frances Ha (Frances Ha)
2012, Estados Unidos
Direção: Noah Baumbach
Roteiro: Noah Baumbach, Greta Gerwig
Produção: Lila Yacoub, Noah Baumbach, Rodrigo Teixeira, Scott Rudin
Fotografia: Sam Levy
Elenco: Greta Gerwig, Mickey Sumner, Adam Driver

Comentários